Google+ Followers

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

"conhece-te a ti mesmo"...


Olá, queridos!

Cartas de hoje, dia de Júpiter, na 2ª hora de Mercúrio: O Buquê (Rainha de Espadas) + as cartas de corte: Os Pássaros (7 de Ouros) e A Torre (6 de Espadas). A carta do buquê é regida por Júpiter e representa sorte, mimos, gentileza, realizações, felicidade. O buquê carrega ainda a proteção da sábia orixá Nanã Buruquê. A carta dos pássaros é regida por Urano, o planeta do inesperado, e representa romance, alegrias, conversas entre pessoas queridas, leveza. A carta da torre é regida por Saturno e tem uma profunda ligação com a fé e a espiritualidade. Ela nos pede uma postura mais contemplativa e um certo afastamento.

Aspectos do Céu:
No céu do dia temos a Lua minguante em Gêmeos vazia de curso (sem aspectos com o resto do céu) até entrar em Câncer amanhã de manhã. Netuno retrógrado em Peixes se opõe à dupla Sol/Mercúrio em Virgem e faz trígono com Saturno em Escorpião. Temos duas quadraturas em T (aspecto dificultador): uma com Urano retrógrado em Áries, Júpiter e Lilith em Câncer, e Plutão retrógrado em Capricórnio, a outra com Urano, Júpiter e Lilith e a Vênus libriana. Temos também dois bisextis (aspecto facilitador): uma com Saturno e Nodo Norte escorpianos, Plutão retrógrado em Capricórnio e Sol e Mercúrio em Virgem, o outro com Saturno e Nodo Norte, Sol e Mercúrio e Júpiter e Lilith. O grande trígono de água está desfeito, voltando a se formar apenas por algumas horas na sexta-feira, com a Lua em Câncer, para novamente se desfazer. A grande cruz cardinal também se desfez, mas volta a partir do dia 12 de setembro. Por enquanto temos Marte leonino sem aspectos, a partir de sábado ele começa a medir forças com Saturno (quadratura). Meio do Céu em Escorpião e Ascendente em Aquário na hora da tiragem das cartas.

Conselho do Dia:
Com a lua minguante e vazia de aspectos, o que o céu nos pede é silêncio. Pausa para reflexão, de preferência com boca fechada e a doçura de um chá de jasmim por companhia para calar a tagarelice dos monstrinhos internos. O exercício de hoje é solitário, contradizendo a agitação característica da lua geminiana. Leia um bom livro, assista filmes, ouça mantras ou instrumentais (de preferência músicas sem letras para esvaziar a mente) e dance junto, medite, contemple, contemple-se, encontre o seu eixo e enamore-se dele. Silenciar é uma das coisas mais difíceis no constante frenesi em que vivemos. O mundo tem cada vez mais apelos a nos manter ligados. Será? Melhor seria dizer desligados, porque com tantos estímulos o que mais vemos são pessoas distraídas, para não dizer superficiais. Não se mergulha em quase nada com a atenção merecida. É tanta gente que passa batido pelas coisas simples e deliciosas da vida, como por exemplo sentar com um amigo querido e conversar olhando nos olhos, não é? Posso mesmo apostar que algumas pessoas sequer sabem o que é isso, nasceram e cresceram na doença da competição, correm o dia todo e nunca fazem as pazes com o tempo. Perdidos de si mesmos, confundem solitude com solidão. Não percebem que cavam mais fundo a tal solidão de que fogem. Passam pela vida sem viver... adoecem. A cura está para todos, mora dentro, traduz-se nos vazios em que a alma processa e apreende as trocas, sozinha. "Nós somos feitos de silêncio e som".

As cartas não poderiam ser mais certeiras, trazendo a Torre para calar a algazarra dos Pássaros, sem entretanto tirar-lhes a felicidade (O Buquê). Hoje a gentileza é interna.

Gratidão!
_/\_

Texto: Lilian Guedes
Baralho: Mystical Lenormand (por motivos óbvios, a carta da Torre, embora não seja a principal, mereceu ilustrar o texto de hoje).

2 comentários: