Google+ Followers

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

moon river


Olá, queridos!

Cartas de hoje, dia de Vênus, na 2ª hora de Vênus: A Árvore (7 de Copas) + as cartas de corte: A Cigana (Ás de Espadas) e A Cegonha (Rainha de Copas). A carta da árvore rege o signo de Virgem, onde temos Marte em trânsito, e nos fala de prosperidade, fortalecimento emocional e bem-aventurança, além de carregar a proteção do orixá das matas, Oxóssi. A carta da cigana é regida por Vênus e representa a mim e a todas as mulheres que frequentam o Salamalek Tarot, bem como a mulher mais importante da vida dos homens que passam por aqui. E, claro, representa ainda a própria Vênus, que diz respeito a como nos relacionamos. A carta da cegonha rege o signo de Áries, onde temos Urano em trânsito, o planeta irreverente que muda as coisas sem aviso. A Cegonha representa novidades, surpresas, mudanças repentinas e para melhor.

Aspectos do Céu:
No céu do dia temos a Lua balsâmica (final da fase minguante) em Libra, fora de curso (vazia de aspectos) desde às 09h15 e até às 02h04 de amanhã, quando entra em Escorpião. Marte em Virgem faz sextil com Mercúrio em Escorpião. Júpiter retrógrado e Lilith conjuntos em Câncer se opõem a Vênus em Capricórnio e fazem trígonos com Mercúrio e Saturno escorpianos. Netuno em Peixes quadra o Sol em Sagitário e faz trígono com Nodo Norte em Escorpião. Vênus em Capricórnio faz sextis com Mercúrio e Saturno escorpianos. Plutão em Capricórnio quadra Urano retrógrado em Áries e faz sextil com Nodo Norte em Escorpião. Sol em Sagitário faz trígono com Urano retrógrado em Áries. Meio do Céu em Capricórnio e Ascendente em Áries na hora da tiragem das cartas.

Conselho do Dia:
A lua balsâmica (fase final da minguante) em Libra está fora de curso durante toda a sexta-feira, até às primeiras horas da madrugada de amanhã, quando entra em Escorpião para dar desfecho à lunação escorpiana, que cede lugar à nova lunação, em Sagitário, na segunda-feira. Antes da lua libriana ficar vazia de aspectos entretanto, ela esteve envolvida em uma quadratura em T com o seu dispositor, Vênus em Capricórnio, e com Júpiter retrógrado e Lilith conjuntos em Câncer. Agora, solta no espaço, guarda em si as ponderações de tudo que está harmônico ou em conflito na área familiar e nos relacionamentos íntimos e parcerias. Esse humor também se configura em nós, nos jogando em um necessário estado reflexivo que tem o papel de rebuscar as nossas insatisfações e evidenciar o que ainda precisa de correção. Só assim estaremos aptos a escolher as sementes que queremos lançar ao solo depois do fim de semana, para crescerem com a força da lunação sagitariana. O clima desta noite pode então ficar mais voltado para o recolhimento, sem muita vontade de trocas, ainda que a lua esteja no signo que as propicia. Não foi um ciclo fácil este da lunação escorpiana, que agora se aproxima do fim. Muito foi remexido dentro, muito foi captado pelas antenas da intuição, muito foi modificado fora. Escorpião é transformação, com ou sem o nosso consentimento. Muitos de nós estivemos de frente com a morte em importantes áreas da nossa vida. Morte física de pessoas queridas, morte de situações arrastadas, morte de tudo que não era verdadeiro, morte de relacionamentos, morte de nós mesmos, que nunca mais seremos o que éramos antes dessas importantes transformações. Mas o lado bom é que renasceremos mais fortes e por certo com muita disposição para renovar os nossos propósitos. Depois da vida-morte-vida, é vida que segue enfim. Mas até o chamado entusiasmado da lua nova em Sagitário, ainda passaremos mais uma vez pela noite escura de Escorpião. A partir das duas da manhã desta madrugada de sábado, a lua retorna ao signo que deu início a lunação, para encerrá-la. Retornamos nós também ao calabouço de nós mesmos para as derradeiras reflexões deste ciclo. Que sejamos certeiros na poda dos galhos doentes da nossa árvore da vida. Que saibamos ser gratos também a todos os outros galhos que nos trazem abundância, para que assim continuem fluindo.

As cartas, mais uma vez em abençoada sintonia com o céu, nos trazem a Árvore em destaque, com influência da Cigana e da Cegonha. Que a nossa vênus (A Cigana) possa captar com maestria as vibrações, para promover mudanças construtivas e benéficas (A Cegonha) na nossa estrutura emocional (A Árvore).

Hoje vamos de Henry Mancini e Johnny Mercer, pela belíssima interpretação da London FILMharmonic Orchestra, Moon River.

Gratidão!
_/\_

Texto: Lilian Guedes
Baralho: Judith Bärtschi Lenormand

2 comentários:

  1. Q TD, Lilian... Agradecida.
    Que sejamos certeiros na poda dos galhos doentes da nossa árvore da vida. Que saibamos ser gratos também a todos os outros galhos que nos trazem abundância, para que assim continuem fluindo.

    ResponderExcluir