Google+ Followers

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

it's a long way


Olá, queridos!

Cartas de hoje, dia de Vênus, na 2ª hora do Sol: A Torre (6 de Espadas) + as cartas de corte: O Coração (Príncipe de Copas) e A Lua (8 de Copas). A carta da torre é regida por Saturno e tem uma profunda ligação com a fé e a espiritualidade. Ela nos pede uma postura mais contemplativa e um certo isolamento. A carta do coração rege a casa VII, casa de Libra, 2º domicílio de Vênus, esfera dos nossos relacionamentos íntimos e parcerias e onde temos Mercúrio em trânsito. O Coração representa amor e paixão. A carta da lua rege o signo de Câncer e nos fala de honrarias por merecimento, envolvimento emocional na questão, intuição, mistérios.

Aspectos do Céu:
No céu do dia temos a Lua crescente em Capricórnio conjunta a Plutão retrógrado, envolvida na grande crua cardinal com Urano retrógrado em Áries, Lilith em Câncer e Mercúrio em Libra, e participando também de dois bisextis, ligando-se através deles a Saturno e Nodo Norte escorpianos, a Vênus escorpiana e a Netuno retrógrado em Peixes. Saturno escorpiano faz trígono com Lilith canceriana e quadra Marte em Leão. Mercúrio aplica sextil a Marte. Sol em Virgem aplica sextil a Júpiter em Câncer. Meio do Céu em Sagitário e Ascendente em Peixes na hora da tiragem das cartas.

Conselho do Dia:
Com a lua capricorniana conjunta a Plutão e diretamente envolvida nas restrições da grande cruz cardinal, a sexta-feira está mais pra caverna. Noite boa para visitar os recônditos da alma, aproveitando a intuição afiadíssima para o autoconhecimento. Os aspectos facilitadores da lua com Saturno, Nodo Norte, Vênus e Netuno também vão ajudar a encontrar as peças que faltam para montar mais uma boa parte do quebra-cabeça do eu, que consiste na verdade essencial de cada um. Mas já que estamos em dia de Vênus, as descobertas também podem ser feitas a dois, na troca intensa e cúmplice que revela muito de nós se soubermos nos entregar por inteiro. Relacionamentos íntimos são verdadeiros tesouros na busca pela essência, especialmente quando os parceiros se amam. O olhar do outro revela muito sobre nós, são espelhos vivos a nos apontar o que sempre esteve bem guardado dentro e sequer suspeitávamos. Um exercício fascinante, desde que saibamos respeitar a necessária individualidade de cada um dos dois que formam um par. Muitos se perdem nas proporções dessa mistura e, tornando-se unos, convidam o desinteresse para habitar o espaço antes reservado à curiosidade constantemente renovada que mantém a atração. Chegamos sós a este mundo e dele assim partiremos. Esta bagagem individual há que ser sempre preservada. Engolimos o outro com muito prazer nos maravilhosos momentos de amor, abrimos também com muito prazer a porta do coração para esse outro que amamos morar, mas no fundo sabemos, ou deveríamos, que o outro não é nós. Preservar essa unidade é respeito, e é sobretudo de respeito que é feita uma duradoura relação de amor. Complexo, né? É por isso que a busca pelo conhecimento próprio é tão importante. Quanto mais nos sabemos, mais nos amamos. Quanto mais nos amamos, mais evoluímos para viver um verdadeiro amor, com um parceiro que redescubra continuamente que quer caminhar junto, não por obrigação, mas por prazer, por amor.

As cartas apontam exatamente para a tendência da noite, com a torre nos convidando ao mergulho interno, que se for feito com muito amor (O Coração) nos ajudará a decifrar boa parte dos nossos mistérios (A Lua).

E hoje vamos de Caetano Veloso, com a canção que deu nome ao título da postagem: It's a long way.

Gratidão!
_/\_

Texto: Lilian Guedes
Baralho: Mystical Lenormand

Nenhum comentário:

Postar um comentário