Google+ Followers

sábado, 29 de junho de 2013

para escrever a própria história


Olá, queridos!

Cartas de hoje, dia de Saturno, na 2ª hora do Sol: A Casa ( ♥ Rei de Copas ♥ ) + as cartas de corte: A Árvore (7 de Copas) e O Navio (10 de Espadas). A carta da casa rege a casa IV da mandala astrológica, casa do signo de Câncer, dos assuntos do nosso eu e da nossa família, e representa a gente mesmo, o nosso lar, nossa segurança emocional e bem-estar. A carta da árvore rege o signo de Virgem, onde temos o Meio do Céu na hora da tiragem das cartas, e nos fala sobre um movimento bastante favorável para as questões emocionais, trazendo boas vibrações e progresso. A árvore também tem associação com os nossos ancestrais. A carta do navio rege a casa IX, nosso contato com pessoas e lugares distantes, bem como com assuntos elevados e fé. IX é a casa de Sagitário, signo regido por Júpiter. No baralho cigano, o navio traz mudanças positivas e superação de problemas, quando acompanhado de cartas positivas, que é o caso de hoje.

No céu do dia temos a Lua cheia em Áries, em quadratura com Sol e Júpiter cancerianos e em trígono com Vênus em Leão. A Vênus leonina segue quadrada a Saturno retrógrado em Escorpião. Sol faz trígono com Nodo Norte em Escorpião. Prossegue a quadratura em T entre Urano em Áries, Sol em Câncer e Plutão retrógrado em Capricórnio. Prossegue o triângulo poderoso das águas, envolvendo Sol e Júpiter em Câncer, Saturno retrógrado em Escorpião e Netuno retrógrado em Peixes. Mercúrio canceriano segue sua marcha para trás. Meio do Céu em Virgem e Ascendente em Sagitário na hora em que as cartas saíram do baralho.

O céu segue nos pedindo revisões emocionais, e hoje nos aponta as nossas origens. Temos um stellium em Câncer com Mercúrio retrógrado lá também, nos trazendo poderosas reflexões sobre o nosso passado, sobre padrões que herdamos e alimentamos ano após ano, sem nos dar conta de que somos nós agora os artistas no palco da vida. Talvez seja a hora de ter coragem para mudar de ideia, para questionar convicções obsoletas, que servem mais aos conceitos e normas estabelecidos na esfera social do que aos nossos anseios, estes sim legítimos. Não se trata de desrespeitar o legado, mas de respeitar a nós mesmos e compreender que não temos que ser infelizes para sustentar instituições que atravessam séculos como verdades absolutas, mantidas por ideais que procuram manter uma ordem aparente. Por que as coisas não podem ser diferentes? Questione-se. Aproveite toda a bagagem que fez de você quem você é e quer manter, mas livre-se dos excessos que foram impostos, principalmente os que são passados como necessários, obrigatórios e disciplinadores, com a intenção de manter tudo como está porque sempre foi assim. A evolução só se dá com mudanças. Hora de compreender amorosamente todos os processos que contribuíram e ainda contribuem para o indivíduo que somos e tomar a frente das alterações no projeto pessoal que vai nos transformar em sujeitos da própria história, mais autênticos e portanto felizes. Para isso é preciso coragem em todos os níveis, mas especialmente de sentir o que faz pulsar... é por isso que vivemos.

As cartas nos aconselham a cuidar das nossas raízes, separar o joio do trigo (a árvore) e capitanear a completa transformação (o navio) no sentido de nos colocarmos como condutores da nossa história de vida. É assim que se conquista segurança emocional (a casa). É assim que se escreve a própria trajetória... é assim que se faz história.

Lindo sábado para todos nós!
_/\_

Texto: Lilian Guedes
Baralho: Mystical Lenormand

4 comentários:

  1. Nossa, profundo e verdadeiro! Acredito que este é o momento atual da humanidade... o momento de descobrir sua verdade interior. Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  2. Sim, sim e sim. Tempo de reconhecer, honrar e agradecer a ancestralidade, fazendo a parte que nos cabe: transformar. Que linda interpretação, querida.
    Gratidão! __/\__

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, minha amiga querida!
      Beijos
      _/\_

      Excluir